terça-feira, 19 de janeiro de 2010

4. Dia Circuito Vale Europeu Cachoeira do Zinco a Dr. Pedrinho


Nesse dia uma caminhada cedo na fazenda até o local do café, que tinha horário. Foi até engraçado o sr. Egon passou na casa viu o carro, bateu e ninguém apareceu, devem estar dormindo ainda. Que nada já estávamos tomando um café da hora. Depois andamos até o topo da Cachoeira do Zinco para tirarmos algumas fotos.



Clique no slide para ver as fotos.

Voltamos para casa preparamos as bicicletas e tudo que sobe desce, e fomos para a base da cachoeira do Zinco, seguir o roteiro do dia. Após a descida foi um para cada lado procurar a estrada para a cachoeira. Eu peguei um caminho que sai a esquerda e passa a ponte e fui até uma casa que tinha um cachorro, e ele não era simpático. Foi mais ou menos assim,  quando eu me aproximava da casa ele latia tava dizendo "não é por aqui é pelo lado direito subindo o gramado, saia antes que eu te morda", como eu não entendia latido avancei um pouco e ele ficou esperando. Dei meia volta para ir embora e ele veio atrás querendo a minha canela até a ponte. Foi então que eu encontrei o Alan  e o carro de apoio que voltavam de outra propriedade, onde uma pessoa informou o local exato. Aí sim voltei a mesma casa de antes  e passei pelo gramado por fora onde estava o cachorro, que dessa vez nem ligou.
Estacionamos tudo e subimos até a cachoeira. Dessa vez não quiz tomar um banho, ainda mais que estava com uma sandália Timberland River Dog novinha, que diziam que serve para locais molhados, mas que escorrega tanto, que aposta corrida com roller. Vai ser devolvida. Muitas fotos, afinal chuvas na região deixaram um belo espetáculo das águas.
Depois de muita cachoeira, um piquenique, e saída para Dr. Pedrinho com um desvio para igreja luterana em estilo enxaimel, única no Brasil.  Na saída da igreja, umas fotos de longe e outra de um pé de pêra carregado ,sendo colhido por uma moça. Ao longo do caminho um pouco de descida próximo as madeireiras de pinus e eucalipto, que é o motor da região, pude ver paletes, caixaria e madeiras cortadas. Uma parada num recanto próximo ao rio, muito bonito. Mais um pouco e já estávamos na cidade de Dr. Pedrinho, num fim de tarde e junto a placa de final do 4. dia e inicio do 5. e já se poderia ver mais do roteiro seguinte. Chegamos então no hotel Negherbon. Os donos são simpáticos, o serviço é muito bom e tem a lavanderia incluída na diária. Aí tudo aquilo que sujou, molhou e não secou ao longo desses 4 dias, nesse hotel é a salvação, inclusive por causa da secadora. Nessa hora pensei porque não me molhei na cachoeira do Zinco.
Um pouco de papo com o pessoal do hotel, algumas piadas com os locais, tipo "a cidade é tão pacata que se pode ouvir as árvores crescerem". Dicas da cidade que tem outras atrações naturais fora do roteiro e que valem a visita. E final do 4. dia.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...