sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Minhas Impressões da Viagem a Santiago, Pucón, Valparaíso, Viña del Mar - Férias no Chile.


Um condor para se entregar e flutuar tem que ter a leveza! (Autor desconhecido) 

No cerro San Cristóbal, durante a descida até a saída Valdivia. Ao fundo o maior prédio de Santiago do Costanera Center.

Quando a viagem de férias tem vários dias para relatar, eu prefiro concentrar todos os comentários num post só. Espero que aqui tenham informações que lhe sirvam para começar uma viagem, nem que seja pelo blog.


Ps. 00- Esta viagem teve como consulta aos amigos Gilson, Julia e Maiuly e os sites da Internet na seguinte ordem:

- Viaje na Viagem , do viajante profissional Ricardo Freire, sobre o Chile.
- Nos no mundo, que falou como ir a Viña Undurraga gastando pouco.
- Puconia, agência sobre passeios, mas que não utilizei, só me informei.
- Across the Universe, sobre os passeios por conta em Valparaíso e Viña del Mar
- La Biciverde, passeios de bicicleta em Santiago.
- Like Chile, várias dicas de Santiago como por exemplo o turismo a cada estação de metrô.

Ps 01- Uma coisa que deveríamos nos orgulhar. O chileno é muito patriótico, eu vi bandeiras em vários lugares.

No Mercado Central

No centro de turistas em Pucón

Atrás do Palácio de La Moneda

Na gravação do programa de esportes

Ps 02- Os passeios do 1º dia em Santiago foram todos em inglês. No La Biciverde o guia falava muito sobre as questões históricas e políticas. Em 10 minutos eu perdia a atenção em meio a quantidade de assuntos e barulhos ao redor.  Imaginem como foi o Tour for Tips no Mercado Vega (hortifruti).

Ps. 03-  Ficar no hotel Ibis Alameda e partir para outras regiões do Chile por causa do terminal Alameda e terminal Sur é a melhor opção.

Ps. 04- A organização do terminal Sur para saída de ônibus é maluca. A plataforma que eu sairia era  entre a 38 e a 46, e você no horário perdido com a quantidade de gente com pouco espaço, e olhando para todas as plataformas. O local tem um fluxo de veículos ao redor muito grande e com ruas estreitas. 

Ps. 05- Tour 4 Tips é por contribuição. A minha foi de 5000 pesos. No Biciverde o passeio foi de 12000 pesos. Para saber em Reais é só multiplicar por 05 e dividir por 1000.

Ps. 06- Pucón, região da araucania também tem pinhão, a araucária de lá difere por ter mais galhos ao longo do tronco. O clima quase lembra o de Curitiba. A principal rua lembra a cidade de El Calafate, onde estive em Janeiro de 2013.

Ps 07- Em Pucón se você for subir o vulcão Villarica procure as agências Patagônia Adventure e Mountain Life. Essas podem custar mais caro. Procure saber se o grupo é de montanhistas para que não forcem a desistência na metade. Da agência que quase me levou e as demais que também abortaram, não vou comentar nada, porque não tem o que falar de bom, mas posso lhe responder por email quem não recomendo. O detalhe é que adiam a subida malandramente e não devolvem nem parte dos 40.000 pesos chilemos o equivalente a 70 dólares.

Ps 08- Se levar a bota impermeável para subir o vulcão com neve, leve uma meia para o frio porque a bota não isola do frio.

Ps 09- Na subida ao cerro San Cristóbal você pode comprar o bilhete do teleférico de 1/2 ou 1 tramo. 01 tramo você desce na 1° parada e vai ao zôo e que custa 3000 pesos para entrar. Depois volta e segue até a 2° parada que é o alto do cerro. Não preciso dizer o que acontece se você comprar meio tramo e descer antes.

Ps. 10- Ir ao vinhedo Undurraga foi uma indicação da amiga Cris. No ano passado estivemos na Patagônia na cidade de Puerto Natalles-CHI. Segundo a Cris, é o que o chileno costuma beber.

Ps. 11- Você precisa ver o cerro San Cristobal em 360º.

Ps. 12- Muitos brasileiros no cerro Santa Lucia.

Ps. 13- Uma opção para quem vai de ônibus a Valparaíso é comprar a volta a partir de Viña del Mar.  Isso se você faz o passeio pela Rodotour. Assim aproveita para conhecer melhor o local que é uma cidade mais nova e mais estruturada com lojas de grife aos interessados.

Ps. 14- Curiosa a história da cor das casas nos cerros de Valparaíso-CHI. Eram por causa das sobras de tintas da pintura dos navios que chegavam ao porto. Uma tradição nas cores que ainda é mantida.


Cores de navios nas casas de Valparaíso


Ps. 15- No último dia em Santiago (sexta-feira) fui a localidade de Quilicura, uns 30 km, de metrô e ônibus integrado. Fui conhecer os Out lets. Buena Ventura Premium é um deles. Não valeu a pena, o preço era muito próximo do Costanera Center.

La Sebastiana a casa em Valparaíso
La Chascona a casa em Santiago


Ps. 16- Enquanto eu andava em Santiago me dei conta que sabia pouco sobre Pablo Neruda. Só por causa do filme O Carteiro e o Poeta. No comentário do motorista da van para o aeroporto ele me falou do livro 20 Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada. Achei esse livro na Internet e copiei alguns trechos para os posts Valparaíso e Caminhada em Santiago por causa das casas dele que visitei. Tem outra casa em Isla Negra onde ele e Matilde estão enterrados, mas essa ficou para outra viagem. Detalhe que esse livro foi escrito quando Neruda tinha 20 anos de idade, são poemas de associação do amor com a natureza.

Ps. 17- No caminho de retorno ao aeroporto de Santiago, o motorista me perguntou se uma viagem sozinho era para reflexão. Eu disse a ele que li alguns relatos sobre isso. A minha viagem era de aventura mesmo, como a maioria deste blog. Afinal é preciso trazer de volta para o Brasil a mesma pessoa que saiu, ou seja eu mesmo com mais "bagagem".

Ps. 18- De volta em casa é que me dei conta de como essa viagem foi muito boa. Enquanto estava lá, tinham meus roteiros, que alterei algumas vezes. Houve o tempo do planejamento de 04 meses que facilitaram muito. Tem muitas histórias nesse blog, todas tem suas experiências, mas essa é especial por ser a primeira sozinho no exterior. Sinto por não tê-la escrito melhor e também por não fotografar, talvez por ser a primeira.

Ps. 19- Desde o ano passado que eu tenho um smartfone. Usei muito a internet (que lá é boa, talvez melhor que no Brasil) consultando páginas sobre os lugares que eu queria ir. Usei também o skype para falar como telefone e o maps google quando precisava seguir um roteiro, principalmente de metrô e ônibus. Claro que tudo isso via wi-fi, porque o roaming é caro e pode compensar ter um pré-pago local.

Ps. 20- Em Pucón, eu fiquei no Pucon Hostel. Em Santiago eu fiquei no hostal Almenas, no bairro Providência. Nos dois fiquei em quarto individual. Custaram cerca de 50 dólares ao dia. A diferença foi o tratamento. No interior tem-se uma melhor cordialidade. Em Santiago as atendentes não  sentiam-se a vontade para entender um brasileiro, mesmo ele simpático, engraçado e de férias. 

Ps 21- Em termos de temperatura, eu fui de um extremo ao outro. Temperatura abaixo de zero na subida ao vulcão Villarica e 39ºC pedalando no bairro Vitacura em Santiago. 

Ps. 22- Um dia eu estava atravessando um cruzamento perto da Plaza Italia em Santiago e vi uma pessoa parecida com alguém que trabalha comigo. Em outra ocasião uma garota me lembrou alguém da dança de salão. E assim outros, mas nem tanto. Comecei a questionar o que era isso, talvez a vontade de ter pessoas conhecidas por perto, embora tenha falado com muitas. Concluí que era "ambientação". Ao estar bem num lugar, eu já estava ambientado a ponto de fazer comparações espontâneas sem me preocupar com o que viria pela frente.

Ps. 23- No último dia em Santiago também fui as feiras de artesanato. Em Bela Vista queria uma camisa da seleção chilena de camelô, uma vez que a oficial tinha acabado nas grandes lojas. Um comerciante me lembrou da feira de Santa Lucia e corri para lá na última hora e achei a camisa. Achei também um dos meus hobbies, que é colecionar jogos de xadrez temáticos, um jogo com personagens dos índios mapuches e colonizadores espanhóis, bem chileno.

Ps. 24- Quando li que em Pucón haviam dois riscos a saúde, que era o rotavírus transmitido pelo rato e a "araña de ricon". Sobre a aranha fui conferir na internet que e se trata da nossa conhecida e temida e que existe em Curitiba, a aranha-marrom.

Ps. 25- Lapislazulli foi o apelido que eu dei a mountain bike em Santiago, porém Lapis Lazúli é uma pedra de cor azul que só é encontrada no norte do Chile e no Paquistão. Trouxe algumas delas para presentear.

Ps. 26- Em Santiago e até mesmo em Pucón o motorista dirige para o pedestre e o ciclista, ou seja tem-se o maior cuidado e respeito, porque esses vêem em primeiro lugar. Nos cruzamentos onde o semáforo era do pedestre se espera mesmo, ao contrário aqui do Brasil. E quando você está numa situação confusa de cruzamento eles esperam. Por outro lado quando o pedestre ou o ciclista cometem um erro são chamados a atenção.

Ps n+01. E como os erros de português se criam e aparecem ao longo do tempo, me desculpe.


Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...